segunda-feira, 2 de março de 2015

Amor suburbano - Nona parte.



Pela manhã Helena ligou para Artur e o convidou para almoçar na sua casa, ele estava agendado subir a serra para almoçar com a mãe e a tia, mas ligaria para elas avisando que houve um compromisso de última hora e que ficaria para semana que vem e que talvez levasse uma pessoa com ele, confirmou a presença para o almoço.
A movimentação começou cedo na cozinha de D. Laura na preparação enquanto Helena e Maitê saíram à feira para comprar legumes frescos. E doze horas em ponto Artur parou o carro na frente do portão e desceu com um buquê de flores para Helena e um jarro com uma planta florida para a mãe que agradeceu convidando-o a entrar. Feito as apresentações e depositado as flores no vaso com água, se dirigiram a mesa de jantar e aos poucos foi quebrando o gelo e também o namorado de Maitê que se mostrou simpático o que agradou D. Rosa que tinha a sua frente os possíveis maridos das filhas. Ficaram a mesa por duas horas depois do almoço veio as sobremesas e depois café e assuntos variáveis, Artur contou um pouco da vida e o mesmo fez o rapaz que ainda estava no começo da faculdade de Administração, mas que almejava um bom futuro nos negócios da família assim como Artur tinha feito é claro sobre outras circunstâncias. Foram para a sala continuar a conversa e ver um pouco de televisão e lá pelas cinco da tarde foi servido o café com bolo de chocolate especialidade da D. Rosa. Despediram-se já no início da noite agradeceram a anfitriã pela boa comida e partiram para uma nova semana. Ficaram na cozinha ajudando a mãe a arrumar as louças e falando do dia, a mãe fez elogios aos rapazes e demonstrou que havia gostado deles.
Quando Helena entrou no hall da clínica Ester e mais duas amigas estavam sorrindo, quando ela entrou na sua sala viu sobre a mesa dois buquês de rosas vermelhas e quando abriu o cartão lá estava escrito: “Para a mais linda namorada e que tenha um bom dia”. Ester quis saber o que tinha acontecido de quem era o cartão, Helena contou como foi o fim de semana, o jantar, o almoço de domingo. Mas como tinha clientes a espera dispensou as amigas e quando elas saíram o seu celular tocou era Artur, ela agradeceu as flores e conversaram sobre as impressões da mãe sobre ele se despediram e marcaram almoçar juntos na quinta-feira pois terça e quarta-feira estaria em São Paulo em uma feira de fornecedores. Dois dias se passaram e vários telefonemas foram trocados, mas na quinta-feira Artur foi buscá-la para almoçar e chegaram ao restaurante de mãos dadas e Zacarias veio atendê-los e levando-os até uma mesa, conversaram rapidamente e o garçom demonstrou-se feliz pelo namoro e já anotando os pedidos de sempre para Artur bife a milanesa e Helena salada de entrada e peixe. Conversaram sobre a viagem os novos produtos que chegaram ao mercado, Artur fez um convite para ela ir almoçar com ele na serra no próximo domingo e que poderia levar a mãe e a irmã se quisesse o que ela se prontificou a falar naquela noite mesmo com a mãe. E um dos assuntos foi o cansaço que ia chegando ao fim da semana devido ao deslocamento da zona oeste para a zona sul, mas que estava esperando um parecer do proprietário de um apartamento onde um amigo do bairro trabalhava o seu Manoel que era porteiro do prédio, e que estava namorando o apartamento a mais de um mês, que já tinha até preenchido um cadastro que o seu Manoel tinha entregado para o proprietário. Artur levou um susto diante da declaração de Helena e numa decisão instantânea não comentou sobre o assunto, então ela era o motivo da insistência de Manoel para alugar o apartamento. Artur deixou Helena na clínica e seguiu para o apartamento, Manoel não estava na portaria era dia de folga, subiu ao andar e abriu a porta da sacada, ficou a admirar a paisagem em volta e com o pensamento na namorada. De volta a loja procurou a pasta do imóvel e dentro encontrou a folha de cadastro preenchida, Artur chamou Juliana e perguntou por que não foi passada a ficha de cadastro do aluguel do apartamento, a secretária informou que ele mesmo deu a ordem para não alugar o imóvel e arquivou a ficha na pasta. Artur concordou com a secretária e a dispensou e ficando preocupado com o que Helena poderia concluir da situação quando ela soubesse que ele era o proprietário, certamente teria um momento certo para contar para ela. Helena ligou na parte da tarde para Artur e confirmou a sua ida a Petrópolis no fim de semana e que a mãe e irmã não iriam.

Um comentário:

Silencio disse...

Humm que suspense, e agora? Quando será que ele vai contar que o apto é dele? E se Helena ficar chateada e recusar?...já verei...

Postar um comentário