quinta-feira, 10 de maio de 2012

Sonho sobre sonho

Eu giro de um lado a outro sobre a cama grande e de aspecto velha de uma noite quente de um Fevereiro em uma Malásia distante. O sonho que sonho me leva a um penhasco e por uma  força oculta me empurra sobre o vazio e em desespero grito ao perceber que lá embaixo a grande lagoa não tem mais que um espelho fino d’ água, meu corpo salta na tentativa de evitar o choque e ao abrir os olhos estou salvo. Respiro fundo e estou sentindo um perfume barato sobre a pele dourada que descanso minha cabeça. O ambiente está úmido e o ventilador de teto gira, fazendo um ruído que mais parece uma hélice de um helicóptero distante. Olho para cima do colo suado sob meu queixo e não tem face o rosto que me sorri. Acordo e sinto a falta da pele rosada e do rosto que me fez transpirar de prazer.

Um comentário:

AMOR disse...

Incrível, quantas vezes sonhamos assim, um sonho sobre sonho, e soubeste relatá-lo de forma magistral. Beijos.

Postar um comentário