domingo, 16 de outubro de 2011

O furto (capítulo 2)

A novidade agora era a filha do farmacêutico
Que estava de namoro com o rapaz da cidade
Com um futuro promissor de médico
Então veio o segundo dia e mais conversas
Por longas tardes na sorveteria ou no portão
E passeios de bicicletas e por fim o beijo
Que selou o namoro e aprovação da família
Com um jantar na casa da namorada
Onde questionaram a vida do estudante
Durante três semanas correu a maravilhas
E a saudade começou antecipadamente
A bater no coração de Maria Isabel
E assim Aldo partiu, acabaram as férias
E trocas de cartas e telefonemas semanais
Promessa de visita no próximo feriado
O que não aconteceu e cessaram as cartas
E os telefonemas foram diminuindo
E Maria Isabel triste pelos cantos
Nas noites de insônias passava chorando
Preocupava a família pelos acontecimentos
Os dias passavam e a tristeza a abatia
Os amigos vinham na tentativa de animar
Mas nada afastava a depressão da menina
E numa manhã Maria Isabel chamou o pai
E pediu para que a acompanhasse à delegacia

Um comentário:

Nocheluz disse...

Excelente! Mantem o suspense num ritmo acelerado! pura adrenalina! Bjinhos

Postar um comentário